Capacidade de autocuidado de pessoas com lesão medular para higiene.

Rudhere Judson Fernandes, Rejane Maria Menezes, Dândara Nayara Dantas, Anne Karoline Araújo, Alexsandro Silva Coura, Bertha Cruz Enders

Texto completo:

HTML (Português (Brasil))

Resumen

Introdução: a lesão medular é considerada hoje um problema de saúde pública no país.
Objetivo: analisar a capacidade de autocuidado de pessoas com lesão medular quanto à higiene.
Métodos: estudo descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com 22 indivíduos com lesão medular adscritos em 16 serviços de saúde entre unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família de Natal, Rio Grande do Norte. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados uma entrevista estruturada por meio da aplicação de um formulário denominado INCEVDOP-LM durante a visita domiciliar. A análise dos dados se deu por meio da epidemiologia descritiva.
Resultados: prevaleceram homens (81,8 %), paraplégicos (90,9 %), não brancos (72,7 %), com credo religioso (86,4 %) e escolaridade =10 anos (52,4 %). A maioria dos participantes foi classificada em total independência para realização das atividades referentes à higiene, com exceção da limpeza do ambiente, que mostrou total dependência.
Conclusão: os resultados podem ser explicados pelas limitações impostas pela paraplegia, o que indica a importância da promoção de estratégias, pela enfermagem, visando melhora do autocuidado e independência desses indivíduos.


Palabras clave

Traumatismos da Medula Espinal;Autocuidado;Higiene;Enfermagem

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2017 Rudhere Judson Fernandes, Rejane Maria Menezes, Dândara Nayara Dantas, Anne Karoline Araújo, Alexsandro Silva Coura, Bertha Cruz Enders

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.