Contribuciones de las tecnologías digitales en la educación permanente de enfermeras

Artículo de revisión

 

Contribuições das tecnologias digitais na educação permanente dos enfermeiros

Contribuciones de las tecnologías digitales en la educación permanente de enfermeras

The Digital Technologies' Contributions to the Permanent Education of Nurses

 

Lorena Fernanda Silva de Oliveira Nunes1* https://orcid.org/0000-0002-5598-4575
Cecília Nogueira Valença2 https://orcid.org/0000-0003-3998-3983
Maria Carolina Batista da Silva1 https://orcid.org/0000-0002-9593-816X

1Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Brasil.
2Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA), Santa Cruz/RN, Brasil.

*Autor para la correspondência: lorena.enf.2011@gmail.com

 

 


RESUMO

Introdução: O avanço tecnológico da sociedade, nos últimos anos, exigiu uma atualização por parte dos indivíduos na perspectiva de atender às novas demandas nos setores sociais, inclusive na área da saúde. As Tecnologias da Informação e Comunicação são ferramentas que possibilitam novas interações e criações de espaços favoráveis ao processo de ensino-aprendizagem, atuando como facilitadoras na construção e troca do conhecimento, estimulando o exercício da autonomia dos sujeitos envolvidos.
Objetivo: analisar os achados da produção científica sobre a inserção das Tecnologias da Informação e Comunicação no processo de Educação Permanente dos enfermeiros no período de 2008 e 2018.
Métodos: trata-se de uma revisão integrativa da literatura. Para a seleção dos artigos utilizou-se as bases de dados PubMed e LILACS, a partir da questão norteadora: quais as contribuições das Tecnologias da Informação e Comunicação para a Educação Permanente dos enfermeiros? Para análise e interpretação dos dados, optou-se pela categorização temática.
Conclusões: as referências selecionadas mostraram as tecnologias digitais como ferramentas educacionais relevantes para a educação permanente dos enfermeiros, sendo capazes de potencializar a aquisição de conhecimento dos profissionais.

Palavras chave: educação a distância; educação continuada; enfermagem.


RESUMEN

Introducción: El avance tecnológico de la sociedad en los últimos años ha requerido una actualización por parte de los individuos para satisfacer las nuevas demandas en los sectores sociales, incluso en el área de la salud. Las tecnologías de la información y la comunicación son herramientas que permiten nuevas interacciones y creaciones de espacios favorables al proceso de enseñanza-aprendizaje, actuando como facilitadores en la construcción e intercambio de conocimiento, estimulando el ejercicio de autonomía de los sujetos involucrados.
Objetivo: Analizar los hallazgos de la producción científica sobre la inserción de las tecnologías de la información y la comunicación en el proceso de educación permanente de los enfermeros en el período de 2008 y 2018.
Métodos: Revisión integrativa de la literatura. Para la selección de los artículos se utilizaron las bases de datos PubMed y LILACS, a partir de la pregunta orientadora: ¿cuál es la contribución de las tecnologías de la información y la comunicación a la educación permanente de los enfermeros? Para el análisis e interpretación de los datos se optó por la categorización temática.
Conclusiones: Las referencias seleccionadas mostraron las tecnologías digitales como herramientas educativas relevantes para la educación permanente de los enfermeros, y capaces de potenciar la adquisición de conocimiento de los profesionales.

Palabras clave: educación a distancia; educación continua; enfermería.


ABSTRACT

Introduction: The society's technological advance in recent years has required an update from the individuals' performance to meet new demands in the social sectors, including the area of ​​health. Information and communication technologies are tools that allow new interactions and the creation of spaces favorable to the teaching-learning process, acting as facilitators in the construction and exchange of knowledge, stimulating the exercise of autonomy of the subjects involved.
Objective: To analyze the findings according to the scientific production about the insertion of information and communication technologies into the process of permanent education of nurses in the period from 2008 to 2018.
Methods: Integrative literature review. For the selection of the articles, the databases PubMed and LILACS were used, based on the following guiding question: What is the contribution of information and communication technologies to the permanent education of nurses? For the analysis and interpretation of the data, we chose thematic categorization.
Conclusions: The selected references showed digital technologies as relevant educational tools for the permanent education of nurses, being capable of promoting the acquisition of knowledge by professionals.

Keywords: distance education; continuous education; nursing.


 

 

Recibido: 20/07/2019
Aceptado: 24/10/2019

 

 

INTRODUÇÃO

O avanço tecnológico da sociedade, nos últimos anos, exigiu uma atualização por parte dos indivíduos na perspectiva de atender às novas demandas nos setores sociais, inclusive na área da saúde. Considera-se cada vez mais evidente a necessidade da Educação Permanente nos ambientes de trabalho em saúde, onde a tomada de decisão deve ser pautada no conhecimento e no desenvolvimento de competências e habilidades de profissionais detentores de uma postura crítico-reflexiva.

As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) são ferramentas que possibilitam novas interações e criações de espaços favoráveis ao processo de ensino-aprendizagem, atuando como facilitadoras na construção e troca do conhecimento, estimulando o exercício da autonomia dos sujeitos envolvidos.(1)

A modalidade de ensino conhecida como Educação à Distância (EAD) proporciona ao profissional acesso as informações e oportuniza a democratização do saber. Trata-se, portanto, de uma estratégia inovadora potencial para a Educação Permanente em Saúde, pela sua flexibilidade, capacidade de transpor barreiras como o tempo e a distância, e também por possibilitar a utilização de recursos dentro da própria instituição de trabalho.(2)

Dentre os meios tecnológicos empregados na EAD destaca-se o uso do moodle uma plataforma de aprendizagem baseada em um software. Tais sistemas de educação via Web podem ser titulados também de Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Além do e-mail, fórum, blogs (recursos assíncronos), existem os chats, videoconferência e audioconferência (recursos síncronos).(3)

A Educação Permanente em Saúde deve abordar temáticas baseadas nos problemas cotidianos dos serviços, produzindo conhecimentos que respondam às deficiências identificadas nas práticas e ocasionem transformações no desempenho profissional, favorecendo o processo de trabalho em saúde e melhorando a qualidade da assistência prestada.

Diante do panorama exposto o estudo apresenta a seguinte questão norteadora: quais as contribuições das TIC para a Educação Permanente dos enfermeiros? Tendo como objetivo analisar os achados da produção científica sobre a inserção das TIC no processo de Educação Permanente dos enfermeiros no período de 2008 e 2018.

Espera-se que a análise colabore para a compreensão da Educação Permanente dos enfermeiros mediada por tecnologias educacionais, identificando as lacunas, os limites e possibilidades sobre a temática produzida.

 

 

MÉTODOS

Trata-se de uma revisão integrativa da literatura. Esse tipo de estudo desponta como uma metodologia que viabiliza a síntese do conhecimento e a inserção da aplicabili­dade de resultados de pesquisas significativas na prática.(4) As seis fases do processo de elaboração da revisão integrativa são compostas pela: elaboração da pergunta norteadora (1ª Fase); busca na literatura (2ª Fase); coleta de dados (3ª Fase); análise crítica dos estudos incluídos (4ª Fase); discussão dos resultados (5ª Fase) e apresentação da revisão integrativa (6ª Fase).(5)

Para o levantamento dos artigos na literatura, realizou-se uma busca nas seguintes bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e PUBMED. A busca ocorreu no mês de outubro de 2018, utilizando os descritores controlados, de acordo com a classificação dos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): educação continuada; educação a distância; enfermagem; education continuing; distance learning e nursing.

Os critérios de inclusão para a seleção das referências foram: artigos disponíveis para acesso gratuito em texto completo; estudos disponíveis nos idiomas inglês, espanhol e português; estudos publicados no período de 2008 a 2018. Foram excluídos: editoriais, revisões, reflexões, relatos, resenhas, cartas ao editor, teses ou dissertações; artigos que não abordassem a temática do estudo e artigos duplicados nas bases pesquisadas.

Posteriormente a seleção dos artigos, fez-se uma leitura analítica, destacando: título, ano, base de dados, autores, tipo de estudo, objetivo e resultados. A apresentação dos resultados e discussão dos dados obtidos foi realizada de forma descritiva. Para análise e interpretação dos dados, elegeu-se a categorização temática.

 

 

RESULTADOS

A amostra final dessa revisão integrativa foi de treze artigos que constituíram as unidades de análise. Apresentam-se, a seguir, os estudos analisados segundo título, ano, base de dados, autores, tipo de estudo, objetivos e resultados (Quadro 1).

Em relação ao ano de publicação, 2 (15,3 %) das referências foram encontradas em 2008, 2 (15,3 %) em 2009, 2 (15,3 %) em 2011, 2 (15,3 %) em 2015, 2 (15,3 %) em 2016, 2 (15,3 %) em 2017 e 1 (7,6 %) em 2018. Pode-se afirmar que existe uma constância de publicações sobre a temática entre os anos de 2008 e 2018.

Houve uma predominância de artigos da base de dados Lilacs selecionados para a revisão, totalizando 8 artigos (61,5 %). Quanto ao tipo de estudo, referente à abordagem metodológica, observou-se que 3 (23 %) das referências realizaram estudo metodológico, 2 (15,3 %) estudo descritivo com abordagem quantitativa, 2 (15,3 %) pesquisa aplicada, 2 (15,3 %) estudo quase-experimental, 1 (7,6 %) avaliação comparativa, 1 (7,6 %) método de design instrucional contextualizado, 1 (7,6 %) desenvolvimento de um curso híbrido sobre enfermagem em saúde ocupacional e 1 (7,6 %) pesquisa mista.

Analisando os resultados das referências selecionadas dispostos no quadro 2, verificou-se que existe uma predominância de estudos sobre a construção de ferramentas educacionais como cursos on-line e Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA), correspondendo a 6 (46,1 %). Em seguida, têm-se os estudos de validação das propostas educacionais virtuais 3 (23 %), 1 (7,6 %) abordou o interesse de enfermeiros em realizar cursos na modalidade EAD, 1 (7,6 %) evidenciou que não houve diferença significativa entre dois grupos de enfermeiros participantes de cursos baseados na web e métodos de educação continuada presenciais, 1 (7,6 %) mostrou a efetividade do aprendizado eletrônico em relação a um livreto educacional, 1 (7,6 %) apontou o aprimoramento do conhecimento dos participantes através de um método virtual, 1 (7,6 %) enfatizou a preferência dos enfermeiros pela abordagem virtual.

Os estudos demonstraram que as ferramentas virtuais são utilizadas na Educação Permanente da Enfermagem como estratégia de ensino-aprendizagem, objetivando a identificação das experiências dos enfermeiros com EAD, a descrição das etapas de desenvolvimento e validação de cursos nas áreas de esterilização de materiais; cateterismo urinário; suporte avançado de vida na parada cardiorrespiratória em adultos; diagnósticos, intervenções e resultados de enfermagem, de acordo com a Classificação Internacional para Práticas de Enfermagem (CIPE).

As referências visaram também à construção de cursos on-line sobre os temas: úlcera por pressão; gerenciamento em eventos adversos; tratamento do câncer. Além da comparação da efetividade de cursos baseados na web e presenciais sobre a AIDS, o desenvolvimento de um instituto de educação continuada de formato híbrido e de um curso com abordagem híbrida sobre saúde ocupacional. Como também delineou a comparação da efetividade entre o aprendizado eletrônico e o livreto educacional sobre as atualizações de diabetes pelos enfermeiros.

Nesse aspecto, os artigos selecionados foram divididos em duas categorias temáticas: 1) Uso das TIC na Educação Permanente da Enfermagem; 2) Avaliação do processo de aprendizagem por meio das TIC na Educação Permanente da Enfermagem.

 

 

DISCUSSÃO


Categoria 1 - Uso das TIC na Educação Permanente da Enfermagem

Com o advento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), expandiu-se a democratização do acesso ao conhecimento produzido, especialmente por meio da educação on-line, possibilitando mudanças no processo de ensino-aprendizagem. Na área da saúde a informação avança rapidamente, demandando atualização profissional crítica e contínua. Neste sentido, as tecnologias digitais podem favorecer a construção do conhecimento e a interação entre sujeitos, conseguindo atingir um maior número de pessoas, permitindo ao profissional escolher quando e onde realizar sua capacitação, além de vivenciar a simultaneidade entre formação e atuação.(2,19,20)

A educação permanente é uma estratégia potente de transformação institucional, que facilita a apropriação e o reconhecimento do modelo de atenção à saúde. Essa possibilidade de qualificação profissional busca contextualizar e aprofundar a reflexão das práticas, integrando-as com a real necessidade da população, dos problemas do processo de trabalho e da organização dos serviços.(21)

Dentre as tecnologias virtuais de educação abordadas nas referências selecionadas no presente estudo, destacaram-se os cursos à distância (EAD) e os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA). Uma pesquisa apontou que esses ambientes podem oferecer ferramentas como: e-mails, fóruns, conferências, bate-papos, arquivos de textos, wikis, blogs usados para a elaboração de cursos baseados na internet. Nestes cenários virtuais, os textos, os hiperlinks, as imagens, os sons e vídeos propagam de maneira a integrar mídias e fomentar o poder da educação através da comunicação.(22)

Outro apontamento relevante, observado nas referências escolhidas no presente estudo, destaca pesquisas sobre a construção e o desenvolvimento de cursos e ambientes virtuais para a educação profissional em detrimento das pesquisas que abordam a validação das ferramentas por peritos.

A incorporação de tecnologias educacionais implica no processo de construção e validação do material educativo, por meio de aporte técnico, pedagógico e metodológico adequados, desta forma a validação das tecnologias educacionais deve ser contínua, devido ao avanço das inovações tecnológicas acontecer continuamente.(23)

Assim, ao validar materiais de ensino através da análise de especialistas, aumenta-se a credibilidade na utilização das ferramentas tecnológicas educacionais no processo de ensino-aprendizagem, ressaltando desse modo a importância da validação.

 

Categoria 2 - Avaliação do processo de aprendizagem por meio das TIC na Educação Permanente da Enfermagem

Nas referências analisadas, as estratégias de ensino-aprendizagem e os recursos tecnológicos utilizados foram apontados como inovadores, contribuindo para um melhor desempenho e satisfação dos participantes.(7,14) Em um estudo desenvolvido no Estado do Paraná, a maioria dos enfermeiros demonstraram interesse na abertura de cursos de EAD para a capacitação profissional.6 Outro artigo enfatizou a necessidade de desenvolver pesquisas adicionais que abordem fatores relacionados ao aprimoramento do aprendizado baseado na web.(9)

A aprendizagem mediada pelas tecnologias digitais mostrou-se ser mais efetiva na concretização do conhecimento, do que um livreto educacional sobre as atualizações de diabetes, usado na educação continuada de enfermeiros em um estudo realizado no Irã.(15)

Outra pesquisa trouxe como processo de avaliação da aprendizagem o planejamento nas dimensões: diagnóstica, proposta no início do curso, com quesitos específicos de cada unidade de aprendizagem; formativa, por meio de exercícios com feedback e jogos digitais no decorrer do curso; e somativa, com teste final no formato de simulação virtual para analisar a atuação do participante na tomada de decisão quanto às intervenções prioritárias no suporte avançado de vida na parada cardiorrespiratória.(18)

O uso de tecnologias digitais surge como uma estratégia de solução atual para as demandas sociais de educação ao promover novas formas de ensino e aprendizagem, significando aprender a aprender. Os recursos tecnológicos são eficazes para a educação permanente dos enfermeiros por tratarem de uma estratégia ativa na construção do conhecimento.(20,22)

A educação mediada por tecnologias deve ser pautada em uma aprendizagem autônoma, independente e reflexiva, onde o sujeito torna-se o centro do ato pedagógico. A utilização das TIC também favorece a inclusão digital dos profissionais e a integração na nova configuração social.(21) No entanto, foram observados poucos estudos que abordaram os instrumentos de avaliação da aprendizagem, acarretando fragilidades no aperfeiçoamento das ferramentas tecnológicas, no feedback dos participantes e na qualidade do material disponibilizado.

Um dos desafios referente ao desenvolvimento da aprendizagem do sujeito pode ser atribuído ao fato de não haver a presença física do facilitador, como ocorre no modelo convencional, mas sim uma gestão participativa do processo educativo. Nesse caso, o interesse e compromisso do sujeito são fundamentais para a eficiência e aproveitamento do ensino.(24)

 

 

CONCLUSÕES

O presente estudo alcançou o objetivo proposto de analisar a produção científica selecionada sobre a inserção das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no processo de Educação Permanente dos enfermeiros. O emprego das TIC na educação, de um modo geral, é um tema emergente, portanto esse estudo sobre a relação das tecnologias educacionais e a educação permanente dos enfermeiros oferecerá subsídios para a difusão de investigações futuras.

A educação permanente desenvolve posicionamento crítico, permite a transformação do indivíduo, a resignificação das práticas profissionais e da própria organização do trabalho, sendo assim investir no aprimoramento dos profissionais promoverá qualidade da assistência e o emponderamento dos enfermeiros frente às tomadas de decisões.

Destaca-se como limitações do estudo a carência de artigos que relatassem a validação dos instrumentos construídos e as diferentes formas de avaliação da aprendizagem dos sujeitos.

Sugere-se, portanto, fortalecer os estudos sobre a inserção das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) nos diversos orena Fernanda Silva de Oliveira Nunes: Coleta e análise das informações. Elaboração do manuscrito.

Cecília Nogueira Valença: Coleta e análise das informações. Elaboração do manuscrito. Correções do manuscrito.

Maria Carolina Batista da Silva: Coleta e análise das informações. Elaboração do manuscritocontextos educacionais, especialmente na educação permanente de enfermeiros, por tratar de um público com múltiplos vínculos e possuir dificuldades como falta de tempo para capacitações. Entretanto, para que este modelo de educação possa ser considerado eficiente, será imprescindível atentar para alguns fatores fundamentais, dentre eles, a qualidade das ferramentas tecnológicas disponibilizadas e o estabelecimento de um ambiente de ensino ativo que permita a interatividade entre os participantes.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Tavares APC, Leite BS, Silveira IA, Santos TD, Brito WAP, Camacho ACLF. Analysis of Brazilian publications on distance education in nursing: integrative review. Rev. Bras. Enferm. 2018 [acesso: 02/11/2018];71(1):214-22. Disponible en: http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672018000100214&lng=pt

2. Silva AN, Santos AMG, Cortez EA, Cordeiro BC. Limites e possibilidades do ensino à distância (EaD) na educação permanente em saúde: revisão integrativa. Ciênci. saúde coletiva. 2015 [acesso: 18/10/2018];20(4):1099-107. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/csc/v20n4/1413-8123-csc-20-04-01099.pdf

3. Anais do 4º Congresso Internacional de Educação e Tecnologias. Encontro de Pesquisadores de Educação a Distância; 11-13 Jul 2018; São Carlos/SP: UFSCar; 2018.

4. Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. einstein. 2010 [acesso: 18/10/2018];8(1):102-6. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102.pdf

5. Ganong LH. Integrative reviews of nursing research. Res Nurs Health. 1987;10(1):1-11.

6. Ortiz MCL, Ribeiro RP, Garanhani ML. Educação à distância: uma ferramenta para educação permanente de enfermeiros que trabalham com assistência perioperatória. Cogitare Enferm. 2008 [acesso: 19/10/2018];13(4):558-65. Disponible en: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/13116/8874

7. Quelhas MCF, Lopes MHBM, Ropoli EA. Educação à distância em processos de esterilização de materiais. Rev Esc Enferm USP. 2008 [acesso: 19/10/2018];42(4):697-705. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n4/v42n4a11.pdf

8. Costa JB, Peres HHC, Rogenski NMB, Baptista CMC. Proposta educacional on-line sobre úlcera por pressão para alunos e profissionais de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2009 [acesso: 19/10/2018];22(5):607-11. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/ape/v22n5/02.pdf

9. Khatony A, Nayery ND, Ahmadi F, Haghani H, Vehvilainen-Julkunen K. The effectiveness of web-based and face-to-face continuing education methods on nurses' knowledge about AIDS: a comparative study. BMC Medical Education. 2009 [acesso: 19/10/2018];9:41. Disponible en: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2717067/pdf/1472-6920-9-41.pdf

10. Ward JA, Beaton RD, Bruck AM, Castro AB. Promoting Occupational Health Nursing Training: An Educational Outreach With a Blended Model of Distance and Traditional Learning Approaches. AAOHN J. 2011 [acesso: 18/10/2018];59(9):401-7. Disponible en: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3291471/pdf/nihms-355570.pdf

11. Xelegati R, Évora YDM. Desenvolvimento de ambiente virtual de aprendizagem em eventos adversos, em enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2011 [acesso: 20/10/2018];19(5). Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n5/pt_16.pdf

12. Alavarce DC, Aroldi JBC, Peres HHC, Wharrad H, Santiago MC. Instructional design to develop an online course on urinary catheterization J. Health Inform. 2015 [acesso: 22/11/2018];7(4):103-9. Disponible en: http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-768580

13. Castro AB, Shapleigh E, Bruck A, Salazar MK. Developing Blended Online and Classroom Strategies to Deliver an Occupational Health Nursing Overview Course in a Multi-State Region in the United States. Workplace Health Saf. 2015 [acesso: 22/10/2018];63(3):121-7. Disponible en: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5570582/pdf/nihms894829.pdf

14. Avelino CC, Borges FR, Inagaki CM, Nery MA, Goyatá SL. Desenvolvimento de um curso no Ambiente Virtual de Aprendizagem sobre a CIPE®. Acta Paul Enferm. 2016 [acesso: 19/11/2018];29(1):69-76. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/ape/v29n1/1982-0194-ape-29-01-0069.pdf

15. Badiei M, Gharib M, Zolfaghari M, Mojtahedzadeh R. Comparing nurses knowledge retention following electronic continuous education and educational booklet: a controlled trial study. Med J Islam Repub Iran. 2016 [acesso: 19/11/2018];(30):364. Disponible en: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4972056/pdf/mjiri-30-364.pdf

16. Avelino CCV, Costa LCS, Buchhorn SMM, Nogueira DA, Goyatá SLT. Teaching-learning evaluation on the ICNP® using virtual learning environment. Rev Bras Enferm. 2017 [acesso: 20/11/2018];70(3):602-9. Disponible en: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003471672017000300602&lng=en&tlng=en

17. Rosemary LH, Klein SJ, Rosenzweig MQ. Creating Quality Online Materials for Specialty Nurse Practitioner Content: Filling a Need for the Graduate Nurse Practitioner. J Cancer Educ. 2017 [acesso: 20/11/2018];32(3):522-7. Disponible en: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4949154/pdf/nihms752741.pdf

18. Tomazini EAS, Tobase L, Teodoro SV, Peres HHC, Almeida DM, Alavarce DC. Curso on-line sobre suporte avançado de vida em parada cardiorrespiratória: inovação para educação permanente. Rev Rene. 2018;(19):32444. Disponible en: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/32444/pdf_1

19. Bussotti EA, Leite MTM, Alves ACC, Cristensen K. Online training for health professionals in three regions of Brazil. Rev Bras Enferm. 2016;69(5):924-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690506

20. Grossi MG, Kobayashi RM. A construção de um ambiente virtual de aprendizagem para educação a distância: uma estratégia educativa em serviço. Rev Esc Enferm USP. 2013 [acesso: 19/11/2018];47(3):756-60. Disponible en: http://www.periodicos.usp.br/reeusp/article/view/78022/82020

21. Fratucci MVB, Araujo ME, Zilbovícius C, Frias AC. Ensino a distância como estratégia de educação permanente em saúde: impacto da capacitação da equipe de Estratégia de Saúde da Família na organização dos serviços. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância. 2016 [acesso: 22/10/2018];15. Disponible en: http://seer.abed.net.br/index.php/RBAAD/article/view/274/212

22. Holanda VR, Pinheiro AKB, Fernandes AFC, Holanda ER, Souza MA, Santos SMJ. Análise da produção científica nacional sobre a utilização de tecnologias digitais na formação de enfermeiros. Rev. Eletr. Enf. 2013 [acesso: 19/10/2018];15(4):1068-77. Disponible en: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/viewFile/22448/15753

23. Salvador PTCO, Mariz CMS, Vítor AF, Júnior MAF, Fernandes MID, Martins JCA, et al. Validação de objeto virtual de aprendizagem para apoio ao ensino da sistematização da assistência de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2018;71(1):16-24. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0537

24. Alves ED, Ribeiro LSN, Guimarães DCSM, Costa CMA, Peixoto HM, Martins EF, et al. Moodle-fólio para o ensino em saúde e enfermagem: avaliação do processo educacional. Rev Eletr Enf. 2012 [acesso: 02/06/2016];4(3):473-82. Disponible en: https://www.fen.ufg.br/revista/v14/n3/pdf/v14n3a03.pdf

 

Conflitos de interesse

Os autores declaram que não existe conflitos de Interesses.

 

Contribuições dos autores

Lorena Fernanda Silva de Oliveira Nunes: Coleta e análise das informações. Elaboração do manuscrito.

Cecília Nogueira Valença: Coleta e análise das informações. Elaboração do manuscrito. Correções do manuscrito.

Maria Carolina Batista da Silva: Coleta e análise das informações. Elaboração do manuscrito.

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2020 Lorena Fernanda Silva de Oliveira Nunes, Cecília Nogueira Valença, Maria Carolina Batista da Silva

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.