Conhecimento sobre HIV/aids e a utilização do preservativo entre os participantes do carnaval

Introducción: o HIV/aids persiste como um importante problema de saúde pública. Durante o carnaval, evento marcado por forte apelo à sensualidade, atrativos para realização de práticas sexuais são comuns.
Objetivos: caracterizar o público participante do carnaval, identificando seus conhecimentos frente ao HIV/Aids e a utilização do preservativo.
Métodos: trata-se de uma pesquisa transversal, realizada em março de 2011, no sambódromo do Rio de Janeiro, Brasil. Fizeram parte do estudo expectadores, foliões e trabalhadores dos desfiles carnavalescos, com idade de 18 anos ou mais, num total de 630 participantes selecionados aleatoriamente, que responderam a uma entrevista estruturada, nas arquibancadas e áreas de concentração das escolas de samba. Os dados foram posteriormente tabulados e organizados com auxílio do software Sphynx.
Resultados: a maioria são mulheres (55,7 %), vivem com companheiro (52,3 %) e possuem nível médio de escolaridade (54,8 %). Quanto ao conhecimento sobre os modos de transmissão do vírus, os participantes informaram: relações sexuais (anal e vaginal sem preservativo) (96,7 %), sangue (91,3 %), relação sexual oral sem preservativo (74,1 %), de mãe para filho durante o parto (64,9 %), pelo leite materno (50,6 %), assentos de vaso sanitário (21,6 %), beijo na boca (20 %) e insetos (17,6 %). Quanto ao uso do preservativo com parceiros estáveis, 35,4 % usam sempre e 35,7 % nunca utilizam, com parceiros casuais 66,8 % usam sempre.
Conclusões: ainda persiste no conhecimento popular a desinformação acerca do HIV/aids, o que pode acarretar vulnerabilidade à infecção e o preconceito. Medidas de educação em saúde tornam-se necessárias para o esclarecimento das pessoas e prevenção de agravos.

Márcio Tadeu Ribeiro Francisco, Vinícius Rodrigues Fernandes Fonte, Thelma Spindola, Elizabeth Rose Costa Martins, Cristiane Maria Amorim Costa, Carina D'Onofrio Prince Pinheiro
 HTML
 
Vulnerabilidades de pescadores de comunidades ribeirinhas às Infecções Sexualmente Transmissíveis

Introdução: As Infecções Sexualmente Transmissíveis, especificamente a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida são patologias que representam grandes desafios para a saúde no contexto mundial, merecendo destaque devido ao seu alto potencial de disseminação. No universo masculino, verifica-se que vem se intensificando o aumento da incidência dessas patologias, sobretudo nos grupos representados pelos adolescentes e jovens.
Objetivo: Analisar as vulnerabilidades de pescadores de comunidades ribeirinhas às infecções sexualmente transmissíveis.
Métodos: Trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva de abordagem qualitativa, realizada nas comunidades ribeirinhas do interior piauiense, Brasil. A amostra foi composta por 18 homens que vivem nessas comunidades.
Resultados: Os resultados foram divididos em duas categorias, a saber: Vulnerabilidades de pescadores relacionadas as infecções sexualmente transmissíveis e práticas preventivas; Políticas públicas de saúde voltadas para a saúde sexual dos homens. Percebeu-se que há uma grande deficiência de conhecimento dos pescadores sobre essas infecções, devido ao baixo grau de escolaridade e a ausência de ações educativas em saúde por parte da Estratégia de Saúde da Família, o que os torna muito vulneráveis às Infecções Sexualmente Transmissíveis.
Conclusão: Há uma necessidade de realizar ações educativas em saúde para os pescadores, por parte da Estratégia Saúde da Família, visto que as políticas de saúde para os homens contemplam ações para as populações mais vulneráveis.

Luciano Luz Ribeiro, Wanderson Carneiro Moreira, Ana Raquel Batista de Carvalho, Maria da Consolação Pitanga de Sousa, Moisés Lopes Carvalho, Tânia Maria Basílio Quezado de Castro
 
Significado da modalidade de preceptoria no âmbito da residência multiprofissional em saúde num Hospital Universitário

Introdução: o exercício da preceptoria é uma construção coletiva que se dá sempre com base em encontros, aposta-se que, nesse encontro, o preceptor opere como mediador e facilitador entre o estudante e o usuário dos serviços.
Objetivo: apresentar os significados da preceptoria no âmbito da residência multiprofissional em saúde num Serviço Ambulatorial Especializado em HIV/AIDS de um Hospital Universitário.
Métodos: pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa, do tipo etnográfico à luz do referencial teórico de Edgar Morin. Os participantes desta pesquisa foram os docentes, preceptores, e residentes que exercem atividades assistenciais e de ensino no referido Serviço Ambulatorial Especializado em HIV/AIDS do Hospital em tela, que fica localizado no estado no Rio de Janeiro, no Brasil, que estavam em atividade regular acadêmica no período definido para coleta de dados.
Resultados: os significados de preceptoria encontrados tais como: acompanhar e orientar os residentes; promover a troca de saberes; processo de ensino e aprendizagem e interlocução entre o ensino e a assistência.
Conclusões: em consonância com o pensamento de Edgar Morin, devemos nos unir contra a fragmentação. Assim, tanto os residentes como os profissionais formadores, ao integrarem teoria com a prática, constroem possibilidades reais para atender às necessidades de saúde da população.

Cosme Sueli de Faria Pereira, Cláudia Mara de Melo Tavares
 HTML
 
Elementos 1 - 3 de 3
Consejos de búsqueda:
  • Los términos de búsqueda no distinguen entre mayúsculas y minúsculas
  • Las palabras comunes serán ignoradas
  • Por defecto, sólo aquellos artículos que contengantodos los términos en consulta, serán devueltos (p. ej.: Y está implícito)
  • Combine múltiples palabras conO para encontrar artículos que contengan cualquier término; p. ej., educación O investigación
  • Utilice paréntesis para crear consultas más complejas; p. ej., archivo ((revista O conferencia) NO tesis)
  • Busque frases exactas introduciendo comillas; p.ej, "publicaciones de acceso abierto"
  • Excluya una palabra poniendo como prefijo - o NO; p. ej. -política en línea o NO política en línea
  • Utilice * en un término como comodín para que cualquier secuencia de caracteres concuerde; p. ej., soci* moralidad hará que aparezcan aquellos documentos que contienen "sociológico" o "social"